24 junho 2010

D´água

De vaidade ela o convenceu a lhe amar. Dos ossos que restaram do passado uma pintura fresca disfarçou a verdade.  O espelho lhe repreendeu à força. Neste gesto tornou-se pequena, vendo das montanhas o vento acariciando o mar.

3 comentários:

  1. uma questão de olhares,
    de pontos de vistas mesmo.

    grande beijo!

    ResponderExcluir
  2. tem uma forma única seus escritos, e belos. abraços a vc e cássio.

    ResponderExcluir