21 fevereiro 2010

Gélido


Palavras cansadas,
sempre ditas,
sempre escritas.
Queria prender você letra,
e consultar-lhe à sombra.
As águas desse rio
gelam meus ossos.
E é essa analogia 
entre eu e você
 que é o meu fracasso.

7 comentários:

  1. sempre surpreendente tua poesia...

    beijos

    ResponderExcluir
  2. surpreendente, sim.

    prender as letras, ah, não queria, não.

    parabéns pelos versos de sempre-tão-novos.

    ResponderExcluir
  3. OLA GUERREIRA,É BOM TE VER ENTRE LETRAS, PRENDA-AS ESMIUCE-AS,DEFLAGUE-AS,MAS SOLTE-AS REFORMULADAS POR SUA INTEGRIDADE LITERARIA E TUDO PARA NOSSO DELEITE...

    ResponderExcluir
  4. Olá, vim aqui por recomendação do Cássio meu amigo blogueiro de longa data, e gostei muito do que li e vi. Poesia de primeira grandeza. Um beijo!

    www.sensivelldesafio.zip.net

    ResponderExcluir
  5. Simplesmente lindo ... encontrei por acaso mas o acaso comigo foi maravilhoso... parabéns

    ResponderExcluir